Imagem capa - O sonho de um casamento a dois por Alan Vieira
Alan Vieira Casamentos

O sonho de um casamento a dois

Essa história nasceu calma e serena, como o amanhecer da sua praia preferida. Sabe aqueles primeiros raios que surgem tranquilos e com um brilho sem igual?


A Tairine e o Arthur se conheceram quando ela se matriculou na faculdade. Ele já era veterano no curso e ambos participavam da mesma comunidade no Orkut (quem lembra? Saudades!) e foi lá, na “Calouros PP Univali 2008/I”, onde interagiram pela primeira vez. Os dois criaram uma verdadeira amizade online, que ganhava vida graças ao MSN. E como a Tai, que morava em Ibirama, estava de mudança para Balneário Camboriú, graças ao início das aulas, eles combinaram de se encontrar. Era o primeiro sinal de que todo aquele companheirismo ganharia o mundo real e deixaria de viver somente no virtual.


A energia bateu e a sintonia surgiu logo de cara. E, por estarem tão conectados, os dois sempre davam um jeito de se verem, desde pequenos passeios até jantarzinhos. Vai, eu acho que até rolava aquele “climinha” pelos corredores da faculdade, mas eles garantem que era sempre na amizade. O que não imaginavam é que uma quinta-feira, mais precisamente 6 de março de 2008, ficaria guardada para sempre na memória! 


Nesse dia o Arthur se ofereceu para acompanhar a Tai até em casa... como quem não quer nada... e na hora de dar tchau... roubou um beijo dela. A nossa reação??




Sim!!!! Esse foi o início de algo incrível. E um mês depois já contaram para a família e amigos que estavam namorando. De lá para cá as coisas foram crescendo e fluindo. E já são muitos anos de um namoro cheio de cumplicidade e lealdade. Com a mesma simplicidade e frio na barriga dos tempos de faculdade, mas agora com uma vida bem diferente daquela de universitários.


O Arthur, devido ao seu trabalho, passou a viajar bastante. Ficava muito tempo fora e a saudade começou a pesar. Mas se a despedida era triste, os reencontros eram ainda mais intensos e emocionantes. Depois de um tempo no Oriente Médio, ele voltou ao Brasil e percebeu que estava mais do que na hora de darem outro importante passo na relação, foi assim que surgiu o convite para morarem juntos. O casal começou, então, 2016 de casa nova. E as conversas sobre o futuro até que apareciam, mas sabiam que tudo viria ao seu tempo, sem pressa e nem muitos planos. Um dia, pouco antes de viajar de volta para o Oriente Médio, o Arthur planejou uma surpresa: encomendou alianças com a vendedora de uma loja de joias que a Tai adorava e deixou tudo organizado para que, quando retornasse ao Brasil, pudesse pedir a mão dela em casamento.


Mas a gente sabe que a vida nem sempre segue de acordo com os nossos planos, né? E, por um problema no seu voo de volta para casa, o Arthur teve que ficar quase que 24h no aeroporto de Abu Dhabi nas vésperas do Dia dos Namorados. O resultado disso? Além de chegar em casa exausto, ele ainda ficou frustrado porque todos seus planos foram por água abaixo. Os dois aproveitaram o domingo juntos e na segunda-feira, 13 de junho, depois de um dia não muito agradável para a Tai, o Arthur chegou em casa com algo que mudaria totalmente suas vidas e eternizaria aquele Dia de Santo Antônio: a aliança que ele tanto queria e o pedido de casamento tão sonhado! Entre lágrimas, sorrisos, abraços, beijos, pijamas e meias, o "SIM!" aconteceu. Bem do jeitinho e no cantinho deles. Talvez esse momento fale muito sobre o casal, já que foi esse o astral escolhido para o casamento: algo a sós, na praia que viveram verões inesquecíveis e riram, choraram, festejaram, se amaram e, claro, viram o sol nascer tantas vezes. 


Acredito que uma das maiores vantagens de um casamento tão intimista assim é o tempo de preparação. Os dois começaram a organizar todos os detalhes com um mês de antecedência, o que ajudou a não ficarem tão ansiosos também. Na nossa primeira reunião as ideias já bateram e eu vi que iríamos fazer algo lindo juntos, mas confesso que não imaginava que tudo ia acontecer de uma maneira tão incrível!




Um altarzinho simbólico foi montado pelo Arthur na Praia Brava, bem no finalzinho da madrugada, enquanto a Tai terminava de se arrumar. Segundo ela, a intimidade da relação dos dois se reflete muito no calor das chamas das tochas e das velas e no modelo clássico do aparador, por isso a escolha desses itens para compor e trazer mais verdade para o nosso dia dos sonhos. 






Eu acredito muito que quando algo é para acontecer, todo o universo conspira e a vida coloca no nosso caminho as melhores pessoas. Prova disso foi a participação mais que especial da Cindy da Baobá Flowershop (falamos dela aqui também) e seu noivo, que, para garantir que o buquê da Tai estivesse lindo e com as flores frescas na cerimônia, buscaram ela em casa (às seis da manhã) e a lavaram até a Praia Brava, onde eu estava com Arthur ajeitando tudo.


"Digamos que a Cindy foi uma fada madrinha que chegou de carruagem e tudo! Além de um trabalho impecável, ela deixa lembranças muito incríveis em nossas vidas. Ser humano doce e sensível que consegue enxergar o amor através de suas flores e toca fundo o coração da gente! Gratidão por esses encontros!" — palavras da noiva!






Para a chegada da Tai, realizamos um first look emocionante. O toque, o cheiro, o carinho, o abraço, era tudo como da primeira vez, já que nesse momento eles estavam prestes a se encontrarem no primeiro dia do resto de suas vidas. Era também a primeira vez que se veriam naquele dia tão aguardado, enfim, tudo era muito único e especial.




E a reação dele? A melhor possível: 




"Não podia ser diferente: Itajaí é a cidade que nos aproximou, que escolhemos ser nosso primeiro lar a dois e que eternizamos nosso amor."




A cerimônia seguiu com a troca de votos e das alianças. Tudo feito com muita calma, com tempo, deixando cada emoção ocupar seu devido lugar. Sem pressa e celebrando o amor de frente para o mar e ao nascer do sol.









“Do nosso amor, a gente é quem sabe...”




Percebe como é especial fazer o seu casamento da maneira que você sonha e acredita que deve ser? As pessoas que devem sair realizadas e felizes nesse dia devem SEMPRE ser vocês dois. Um casamento assim, intimista e a sós, também é uma ótima opção se você está com dificuldades com a lista de convidados, por exemplo, ou com pouca grana para investir. Eu perguntei para a Tai e o Arthur alguma dica em relação a preparação do casamento e olha só o que eles me falaram:


"Pense em vocês! Sinta qual a vontade do casal antes de mais nada. Não se apegue às vontades de familiares ou amigos porque este momento é o marco na construção da vida a dois. Dali em diante serão uma família, pensarão em vocês em primeiro lugar. Então sejam vocês mesmos e decidam tudo pondo o AMOR em primeiro lugar. Casem-se, seja em um evento para mil pessoas ou a dois num barco em alto mar. Só o amor é que importa."





"Entreguem-se completamente. Sintam a verdade no olhar do amor da sua vida, sintam o cheiro, sintam o toque, eternizem na memória e no coração esse momento. Entrem em uma bolha só de vocês e aproveitem cada instante dessa magia que envolve o dia do casamento."




O casal decidiu enterrar os votos com areia em um vidrinho que fará parte da decoração da casa deles. Uma maneira de levar para sempre um pedacinho desse dia incrível, né?








"Somos bem exigentes e criteriosos e temos uma relação com a fotografia como arte, como uma ferramenta que eterniza momentos por meio de histórias contadas através de uma lente e de um olhar incrível do artista... Quando nos deparamos com o trabalho do Alan (no instagram mesmo!) soubemos: era o nosso fotógrafo!!! Acho que o que mais nos chamou a atenção foi a capacidade dele sentir o amor em tudo que vê e clica. A luz, seja do sol ou de um céu nublado, os detalhes capturados e a essência mágica em cada trabalho. É algo muito diferente, sensível e que causa muita emoção!"




LINDOS!!! Como é especial fazer parte e viver esse sonho. Como fotógrafo, foi muito importante captar a essência, o que realmente o casal buscava e também ajudar com toda a preparação antes e na hora de deixar tudo lindo para que a nossa cerimônia acontecesse da melhor maneira. E posso dizer que foi um certo desafio, já que esperávamos pelo sol e os dias anteriores estavam nos deixando meio tristes devido ao mau tempo, mas fomos presentados com um presente lindo dos céus. Já quero viver tudo de novo, como lidar??




Ps: feliz demais com nosso blog e todos esses posts. E torcendo para que o próximo casamento a dois seja o seu que está lendo e acompanhando esse trabalho que eu AMO! 


Com muito carinho,