Imagem capa - Para fotógrafos: 3 dicas valiosas para seus ensaios de casais por Alan Vieira
Inspiração

Para fotógrafos: 3 dicas valiosas para seus ensaios de casais


**Texto publicado originalmente na minha coluna no Blog Wedding. Acesse para conferir outras matérias!



Fotografar casais pode ser um verdadeiro desafio para alguns fotógrafos. Falo isso pois eu costumava ter uma grande barreira na hora de dirigir esse tipo de ensaio, seja por timidez minha, por lidar com pessoas que não nunca tiveram contato algum com fotos ou por me apegar demais em poses e esquecer de todo o resto. Bem, não existe uma escola ou uma regra exata do que fazer, o que pode dificultar um pouco as coisas no início. Desse modo, é de grande valor começarmos entendendo o quanto somos especiais e temos nas mãos uma oportunidade única.


Você! Sim, você mesmo, foi escolhido entre tantos outros fotógrafos para contar a história dessas duas pessoas e guardar na eternidade tudo que os rodeia e dá vida: o amor. Quer presente melhor do que esse? Por isso separei três dicas que farão você se conectar, extrair o melhor dos seus ensaios de casais e perceber a magnitude que existe por trás das pessoas mais comuns.




  • Mostre que não é preciso grandes produções para fazer grandes fotos

Não precisamos de nenhuma preocupação no dia do nosso ensaio, certo? Então é hora de desconstruir o receio que muitos casais acabam tendo, e que surge em grande parte das vezes através de referências externas, de que as fotos serão ou não uma grande produção, digna de Hollywood.


É interessante termos uma boa locação para a sessão e também roupas que sejam confortáveis e esteticamente agradáveis, afinal, algo que fez o meu trabalho crescer, e muito, foi o cuidado com a escolha dos looks e o cenário ideal para as fotos. Mas é preciso entender que isso não é tudo. E o mais importante é o casal perceber também. No dia do ensaio a noiva vai estar desde muito cedo preocupada com a make, com o cabelo, enfim, com uma série de fatores. E o noivo pode estar travado pensando se vai conseguir se soltar, se seus amigos irão zomba-lo, se a sessão vai fluir bem... então cabe a você a tarefa de indicar que nada disso é válido e necessário aqui.


Não estamos fotografando atores ou personagens, mas sim pessoas comuns e ao mesmo tempo extremamente especiais. Ao mostrar que não precisamos de grandes produções, que o calor do momento e o afeto dos dois será o responsável pelos melhores momentos do ensaio, você os faz perceber que os dois são pessoas simples e ao mesmo tempo incríveis. E isso já é o bastante.


  • Dê aos dois a chance de serem eles mesmos

Acredito que um dos maiores problemas que encontramos na hora de fotografar está ligado às nossas expectativas. Ao fato de irmos aos ensaios com ideias fixas, muitas vezes baseadas em referências que fogem da nossa realidade e que acabam se tornando verdadeiras barreiras na busca por aquilo que mais importa, que é ter como protagonistas das nossas fotos o amor e a essência do casal. Por isso, é muito importante darmos aos dois a chance de serem eles mesmos, sem impor muitos conceitos ou ideias mirabolantes. Você já os fez ver como são especiais e únicos, por isso lembre-se: não existe nada mais simples e engrandecedor em um ensaio do que extrair o íntimo e a real beleza de quem fotografamos.


Comece reparando nos trejeitos, nos olhares, na troca de carinho. Deixe que isso guie você durante o ensaio e não as suas concepções do que pode ou não dar certo.  Se precisar, afaste-se e deixe o casal a sós por alguns minutos, enquanto você fotografa. Use o sentimento deles como seu aliado e os induza a serem os mais amorosos possíveis, fazendo-os lembrarem da primeira vez que reparam um no outro ou do primeiro beijo que deram, por exemplo.




  • Sua direção não deve valorizar poses e sim o afeto

Confie em mim, não existem regras a se seguir, nem um caminho que é certo ou errado. Mas depois das dicas que já vimos, essa é a verdadeira chave para que o seu ensaio extraia toda a verdade e amorosidade do casal: valorize, durante a sua direção, o afeto, o carinho, a troca de olhares, e não as poses que você viu nas fotos de algum outro fotógrafo. É ótimo buscarmos referências, eu sei. Mas por muito tempo me peguei preso nisso, nessa ideia de que para que minha sessão fosse boa eu precisaria alcançar os resultados que algum profissional que eu admirava alcançava. E nada nos trava mais do que essa comparação, essa falsa ideia de que tudo dá certo para o outro e nada para nós.


Lembre-se: a direção afetiva é sua melhor amiga durante o ensaio. Portanto, saber a história do casal, bem como quanto tempo estão juntos ou onde foi que se conheceram, te ajudará a criar pequenas interferências durante a sessão. Imagine como pode ser lindo o brilho no olhar dos dois se você, enquanto fotografa, fazer com que eles percebam que estão de frente para o grande amor das suas vidas, que nesse momento estão abraçando aquele menino ou aquela menina que conheceram anos atrás, que estão tendo a oportunidade de apertarem as mãos daquela pessoa que fez seu coração bater mais forte e seu corpo todo tremer naquele ano especial. Não é mágico?


A maioria das vezes em que o nosso trabalho trava e para de fluir se deve ao fato de que não estamos conectados de verdade com quem fotografamos. Por isso esqueça o que você viu no perfil daquele fotógrafo maravilhoso que faz fotos no deserto ou em cachoeiras incríveis. E se apegue ao que você tem em mãos nesse exato momento, que é tudo o que vale.


Pequenos gestos de carinho e abraços que parecem pegar o coração do outro para cuidar são os grandes responsáveis pelas melhores fotos que você irá fazer. Por que se preocupar com qualquer coisa que vá além disso?


Texto e fotos por: Alan Vieira