Imagem capa - Pare de se comparar e abrace a grandeza de ser você mesmo! por Alan Vieira

Pare de se comparar e abrace a grandeza de ser você mesmo!


**O artigo a seguir, além de inaugurar o nosso novo blog, é um texto muito especial que escrevi originalmente para minha coluna no Blog Wedding. Espero que inspire você!



Em  algum momento você já se pegou comparando seu trabalho com o de algum  fotógrafo que você admira? Ou pior, você já chegou a considerar suas  fotos inferiores depois de conhecer o portfólio de alguém? Por mais  frustrante que seja, isso ainda é algo que fazemos e muito. Se torna  inevitável, mesmo sabendo que vivemos em um mundo de contrastes, opostos  e diferenças que estabelecem nossa unidade, a comparação acaba fazendo  parte, de uma forma ou de outra, dos nossos dias.


Falo  isso porque durante muito tempo eu achei que o material que criava não  parecia bom o suficiente perto de tantas fotos inspiradoras que  apareciam no meu feed quase que diariamente. E isso me deixava em um  estado de inércia, preso entre o que a internet exibia de melhor e o que  eu estava fazendo até então, e o resultado disso sempre é a  insatisfação. Já vivi dias em que eu parecia ter perdido o encanto, tudo  por não atingir as cores e tons que certo fotógrafo alcançava,  imaginando que talvez no futuro poderia ter um trabalho interessante e  com maior valor. Como também já me deprimi muito porque não morava em  lugares tão bonitos e poéticos quanto aquelas montanhas de gelo ou  cachoeiras enormes que serviam de cenário para as pessoas que eu  acompanhava.




O  principal detalhe que esquecemos é que o que o outro nos mostra é  apenas o seu palco montado, um espetáculo pronto e nada mais do que está  à frente das cortinas. E o que vemos em nós vai além disso, pois  conhecemos os nossos bastidores e toda a bagunça que existe. Nós sabemos  das nossas dificuldades e, quando nos comparamos, as colocamos na  balança junto com aquele pedacinho externo e maravilhoso que o outro nos  revelou. Por isso o peso tende sempre a ir para o lado da decepção.


Tudo é um processo de se reencontrar e se acolher por inteiro e acredito que essas três dicas possam ajuda-lo nisso:


Olhe para dentro.


Perceba  as peculiaridades da sua realidade e ame o fato de que você é único e  especial por isso. A poesia não está nas melhores locações, mas sim  dentro de você. Você carrega consigo algo que só você sente, algo que só  você vê. Por isso a primeira e única pessoa que deve ser levada em  consideração na hora de comparar seu trabalho é quem você foi ontem.


Aceite que você é merecedor.


Não  faz parte da sua verdadeira essência esse sentimento de que o outro  está à sua frente e conquistando coisas que você não está. Acontece que  pensando dessa forma você fecha os olhos para tudo o que ainda pode e  vai alcançar. As oportunidades de crescimento surgem a cada novo  trabalho, a cada novo cliente que conhecemos e nos conectamos.



Reconheça que suas experiências o trouxeram até aqui.

 

Nós  nos esquecemos muitas vezes de como já evoluímos e construímos algo que  é só nosso. Todas as suas fotos do passado, as boas e até mesmo aquelas  que já lhe causaram certo desconforto, serviram como bagagem para que  você pudesse amadurecer, tanto como pessoa quanto como profissional. E  acredite, todos que você admira também estão vivendo essa caminhada  diariamente. 

 

Você não  precisa buscar lá fora, pois já vive com tudo o que é necessário para a  mudança acontecer. É uma questão de reconhecimento próprio, aceitando  que a sua carreira é a sua principal fonte de inspiração e o seu  interior é o seu melhor aliado. Dê atenção ao que vem de dentro, ao  parar de se comparar você poderá abraçar toda a grandeza de ser quem  você realmente é.


Texto e fotos por: Alan Vieira